20 de fev de 2017

DINHO BRAGA - Um sambista de fato


No ano de 1996, na cidade do Rio de Janeiro, Dinho Braga iniciou sua incursão no universo da música. Na ocasião, com 16 anos de idade, passou a trabalhar como roadie do Grupo Amor Maior (DF), que à época fazia uma temporada de shows na capital fluminense. No ano seguinte, já em Brasília, autodidata que era, passou a tocar percussão profissionalmente, tendo sido apadrinhado por Juninho Taguá.
Em 2000, ainda com o grupo Amor Maior, Dinho adotou o instrumento percussivo que o acompanharia por diversos anos, o Surdo. Tocando esse instrumento, o percussionista passou a acompanhar diversos músicos e grupos musicais, chegando a fazer temporada em São Paulo. Apresentou-se em casas de renome como a Terra Brasil, onde chegou a gravar o CD Terra Brasil Vol. 4 e Consulado da Cerveja, ambos tocando seu instrumento de predileção, o Surdo.
Em 2002, atuou como músico da rádio Transcontinental. No mesmo ano, em companhia dos músicos Moacyr Marques (Baterista) e Rogério Major (Baixista) criou a banda do cantor Almirzinho, filho do renomado compositor Almir Guineto, tendo acompanhado, por cinco anos, nomes consagrados da música nacional, tais como: Almir Guineto, Luisinho SP, Mazinho Xerife, Mi Barros, Bezerra Caxambu, Helder Celso, Marquinhos Satã, Reinaldo, Rappin Hood, Royce do Cavaco, Oswaldinho da Cuíca, Mauro Diniz, Iara Rocha, Dona Ivone Lara, Quinteto em Branco e Preto, Leci Brandão e Grupo Sampagode.
No ano de 2007, já residindo em Brasília, foi convidado por Kadu Nascimento a participar do que viria a se tornar uma das principais referências de samba na capital, o grupo Adoraroda. Foram quatro anos de muita intensidade, aprendizado e alegria.
Em 2010, também fez parte do grupo de samba Regional Show de Bola, hoje com o nome Gandanguero, ocasião em que estabeleceu laços de amizade e proximidade musical que lhe rendeu várias composições em parcerias com integrantes do projeto.
Fez parte do Projeto de música Autoral Nosso Som, tocando percussão e interpretando composições próprias. O Projeto, vigente ao longo do ano de 2011, foi criado e organizado pelos músicos Pedro Vasconcellos (Cavaquinista) e Cacá Pereira
(Compositor/Interprete), com produção musical de Rafael dos Anjos, hoje arranjador e músico da banda do conhecido compositor Arlindo Cruz.
Dinho Braga criou, em 2012, junto com Rogério Major e Maninho Calixto, O grupo Som do Guetto, grupo que ainda atua como compositor e produtor Musical.
Ainda no mesmo ano, o interprete Nelson Felix venceu o festival de novos talentos da renomada e tradicional casa de shows Carioca da Gema, localizada no bairro da Lapa, Rio de Janeiro. Na ocasião, a música defendida pelo intérprete 'Samba pra Ogum' é de autoria de Dinho Braga, em parceria com Artur Senna, Vinícius de Oliveira e Nego Bom.
No ano seguinte, Dinho foi convidado a gravar o DVD Estou de bem com a vida, uma homenagem ao compositor portelense Carlos Elias, hoje residente em Brasília. O DVD foi lançado em três capitais, Rio de Janeiro, Recife e São Paulo, onde foram realizados shows de lançamento. Dinho participou de todas as apresentações.
Ainda em 2013, em colaboração com o compositor Leandro Sant'anna, Dinho Braga criou o projeto Samba na Gaveta, com o intuito de gravar um DVD com sambas autorais de compositores oriundos e residentes na capital. Atualmente, o projeto se chama Samba do Compositor, alteração efetuada em 2014, após reunião deliberativa com Marquinhos Benon, Artur Senna e Leandro Sant'anna. O objetivo inicial prevalece, qual seja: gravar composições de compositores de Brasília e espalhar a cultura em CD e, ou, DVD.
Em 2014, Dinho foi convidado pela Produtora Cultural Padê Produções para integrar o projeto Samba nas Feiras, projeto que realiza rodas de samba itinerantes e gratuitas nas diversas feiras do Distrito Federal. Um ano depois, passou a fazer parte do Grupo Samba Autoral, grupo que interpreta e divulga composições autorais de diversos compositores brasilienses. Dinho atua como músico e Produtor Musical.
Em 2016, na função de Diretor Musical, mas também atuando como músico, compositor e arranjador, Dinho Braga participa da estruturação e execução do projeto Casa de Sinhá, que trás a proposta de estabelecer conexões entre amigos/compositores e interpretes de Brasília e, a princípio, do Rio de Janeiro. O CD que contempla a proposta está em fase final de edição, sendo esperado seu lançamento já para o início de 2017.

0 comentários :

Sua mensagem será lida e caso necessário, será moderada antes de ser postada.
Obrigado!