2 de dez de 2013

Secretaria Municipal de Cultura celebra samba paulistano com tombamento, shows e seminário

Secretaria Municipal de Cultura celebra samba paulistano com tombamento, shows e seminário

Dia nacional do samba, comemorado em 2 de dezembro, ganha comemoração inédita com solenidade no Theatro Municipal de São Paulo para o registro do samba urbano paulistano como patrimônio imaterial pelo Conpresp; na sequência, grandes nomes como Osvaldinho da Cuíca, Beth Carvalho, Riachão, entre outros, interpretam um repertório de sambas paulistanos; Seminário discute Carnaval e Celebrações de Rua no Centro Cultural São Paulo; Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes tem shows com Leandro Lehart e Péricles

Riachão participa de grande encontro de sambistas paulistanos, no dia 2


Celebrado em dois de dezembro, o Dia Nacional do Samba ganhará, em São Paulo, uma grande festa, que acontecerá entre os dias 2 e 8 de dezembro em diversas regiões da cidade, do Centro a Cidade Tiradentes, com entrada franca em todos os eventos. Intitulada “Semana do Samba”, a série de festividades contará com uma solenidade no Theatro Municipal de São Paulo para o reconhecimento do samba urbano paulistano como patrimônio imaterial. Em seguida, acontece o show “O samba paulistano convida”, com apresentações artísticas com grandes nomes do gênero como Osvaldinho da Cuíca, Beth Carvalho, entre outros grandes nomes da nossa música. 

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, o Centro Cultural São Paulo sedia um seminário que discute o Carnaval e as Celebrações de Rua. O secretário Juca Ferreira coordena, desde o início do ano, um Grupo de Trabalho Intersecretarial com o objetivo de discutir e descriminalizar o Carnaval de Rua na cidade de São Paulo. Diversos especialistas que organizam o Carnaval em cidades nordestinas como Salvador e Recife, além de convidados internacionais participam das oito mesas de discussão. As inscrições podem ser feitas pelo site www.centrocultural.sp.gov.br
O coreto da Praça Antonio Prado, nas proximidades da Bolsa de Valores de São Paulo, receberá shows de Dona Inah, Royce do Cavaco, Zeca Pauliceia, Ventura Ramirez, do Demônio da Garoa, entre outros, ao longo da semana. 

No dia 8 de dezembro, o Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes recebe uma série de shows com abertura de dois grupos populares, sendo dois deles locais: “Samba da Comunidade” e “Samba da Árvore”, a partir das 10h. Leandro Lehart e sua banda sobem ao palco às 13h e o encerramento fica por conta de Péricles, ex-integrante do Exaltasamba que agora segue em carreira solo e integra o programa “Esquenta”, da TV Globo, que apoia o evento. 

No dia 30 de novembro, o Centro Cultural da Juventude, na zona norte, faz um aquecimento da Semana do Samba com show da cantora Fabiana Cozza ao lado da Velha Guarda da escola de samba “Camisa Verde e Branco”, a partir das 16h30, com entrada gratuita.  

RECONHECIMENTO DO SAMBA PAULISTANO

O Departamento do Patrimônio Histórico realizou estudos sobre o assunto desde o primeiro semestre deste ano, culminando na aprovação do Conpresp para o registro do Samba Urbano Paulistano como patrimônio imaterial no último mês de outubro. No dia 2 de dezembro, o ato solene com a assinatura do Secretário Juca Ferreira servirá para homologar e, por sua vez, oficializar o seu reconhecimento como patrimônio histórico da cidade. Nesta mesma data, a partir das 21h, aconteceu um grande encontro de sambistas paulistanos e de outras regiões do país. Sobem ao palco do principal palco da cidade Dona Esther e a Roda de Samba de Pirapora, Osvaldinho da Cuíca, Dona Inah, Germano Mathias, Beth Carvalho, Riachão e Quinteto em Branco e Preto.

SEMINÁRIO DISCUTE CARNAVAL DE RUA

Além da celebração artística, haverá também a realização de um Seminário, que discutirá as celebrações de rua e o carnaval. Entre os dias 3 e 5 de dezembro, a Sala Jardel Filho, do Centro Cultural São Paulo, sediará debates sobre o assunto, com diversas mesas de discussão, cujos temas que contemplam a dimensão cultural e o planejamento do Carnaval de Rua, um panorama das festas de rua paulistanas, a economia gerada a partir das celebrações e as políticas públicas para o Carnaval de Rua, que toma conta de diversas capitais em todo o Brasil, com ou sem apoio governamental. As mesas de discussão terão nomes temáticos como, por exemplo, “Turma do Funil”, para discutir o patrocínio, comercialização e marketing do Carnaval; “Quem sabe, sabe”, que tratará da estratégia e inteligência por trás da organização dos eventos de rua; “Cachaça não é água, não”, que discute a segurança pública durante as festividades, entre outras. O prefeito Fernando Haddad e o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, abrem o encontro. 

Entre os convidados para falarem nas mesas temáticas estão Leda Alves, secretária de Cultura do Recife; Baby Amorim, coordenadora do Instituto Ilu Obá de Min; Gustavo Catalano, coordenador do São João do Recife; Jairo da Mata, diretor-executivo do Conselho Municipal do Carnaval (ComCar) de Salvador; Alessandro Dozena, pesquisador da Universidade Federal do Rio Grande do Norte sobre Práticas Culturais e Territorialidades e autor do livro Geografia do Samba na Cidade de São Paulo, entre outros. 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA “SEMANA DO SAMBA”

AQUECIMENTO: FABIANA COZZA E PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DA 
VELHA GUARDA MUSICAL DA CAMISA VERDE E BRANCO 
Antecipando as comemorações do dia nacional do samba o CCJ reunirá duas gerações do samba paulistano: a cantora Fabiana Cozza, reconhecida como uma das principais intérpretes da nova cena nacional, e a Velha Guarda Musical da Camisa Verde e Branco. A cantora inicia a festa com uma apresentação dos vários sucessos de sua carreira e, depois, se junta numa roda de samba com os integrantes da Velha Guarda. 
| Centro Cultural da Juventude – Anfiteatro. Dia 30/11, a partir das 16h30. Livre. 300 lugares.  Grátis, Retirar ingressos no dia do evento, a partir das 19h30. (ingressos serão distribuídos a partir das 16h30 na recepção). 

TOMBAMENTO DO SAMBA E SHOW “O SAMBA PAULISTANO CONVIDA”
Solenidade: Secretário Juca Ferreira homologa o registro do samba urbano paulistano como patrimônio imaterial, aprovado pelo Conpresp em outubro deste ano. Na sequência, acontece apresentação artística com Dona Esther e a Roda de Samba de Pirapora, Osvaldinho da Cuíca, Germano Mathias, Beth Carvalho, Dona Inah, Riachão e Quinteto em Branco e Preto.
| Theatro Municipal de São Paulo. Centro. Dia 2/12, a partir das 20h. Grátis (ingressos serão distribuídos a partir das 16h do dia 2 de dezembro na bilheteria do Theatro Municipal)

CANTILENA PAULISTANA
Show: “O Figo e a Figueira”. 60 min.
Lançamento do disco homônimo ao show que faz um brinde ao samba do passado, vislumbrando o do futuro, em composições inéditas e outras do primeiro trabalho.
| Centro Cultural São Paulo – jardim interno. Centro. Integrando a série “Fim de Tarde no CCSP”. Dia 12, 18h30.  (não é necessário retirar ingresso)
| Teatro Décio de Almeida Prado. Zona Oeste. Dia 13, 21h. (retirar ingresso, um por pessoa, a partir das 20h)
| Grátis

QUESITO MELODIA
90 min.
Quatro intérpretes de escolas de samba de São Paulo –Carlos Júnior, da Império de Casa Verde, Darlan, da Sociedade Rosas de Ouro, Douglinhas, da Pérola Negra, e Vaguinho, da Acadêmicos do Tatuapé– cantam sambas-enredo, de quadra e de raiz.
| Galeria Olido – Vitrine da Dança. Centro. Dia 2, 19h. Grátis (não é necessário retirar ingresso)


SAMBA NO CORETO
CORETO DA PRAÇA ANTONIO PRADO | CENTRO | DE 3 A 6 DE DEZEMBRO 

DONA INAH
| Dia 3, 18h

BIRO DO CAVACO
| Dia 3, 20h

ZECA PAULICEIA
| Dia 4, 18h

VENTURA RAMIREZ (Demônios da Garoa)                    
| Dia 4, 20h

MÁRCIO ART (Art Popular)
| Dia 5, 18h

ROYCE DO CAVACO
| Dia 5, 20h

INIMIGOS DO BATENTE
| Dia 6, 18h

JOÃO BORBA - 1 BANDO
| Dia 6, 20h


TERÇA DE SAMBA
GALERIA OLIDO | VITRINE DA DANÇA | CENTRO | TODA 3ª | GRÁTIS

| Não é necessário retirar ingresso.

T. KAÇULA
Show: “Liturgia de Bamba”. 90 min. 
Sambista e compositor, T. Kaçula lança novo CD homônimo ao show. Cada faixa traz um toque em reverência a um orixá e entre elas estão “Antigamente Era Assim”, “Ela É” e “Cavaleiro Maior”.
| Dias 3 e 10, 19h


Encontros

LANÇAMENTO: “A GEOGRAFIA DO SAMBA NA CIDADE DE SÃO PAULO”
Autor: Alessandro Dozena. 
De autoria do escritor e geógrafo Dozena, o livro faz uma análise sobre como surgiu e se desenvolveu o gênero na cidade e seu deslocamento para as distintas regiões. O encontro conta com a apresentação de ritmistas da escola de samba mais antiga em atividade da cidade, a Lavapés, fundada em 1937.
| Biblioteca Mário de Andrade – terraço. Centro. Dia 3, das 19h às 21h. Entrada franca


SAMBA EM CIDADE TIRADENTES: SAMBA DA COMUNIDADE, LEANDRO LEHART E PÉRICLES
Com apoio da TV Globo, a Secretaria Municipal de Cultura promove o show de encerramento da Semana do Samba com apresentações musicais de três grupos da periferia: Samba da Comunidade, Samba das Árvores e Samba de Roda Nega Duda. Na sequência, sobem ao palco o cantor Leandro Lehart, ex-Art Popular. O encerramento fica por conta de Péricles, ex-membro do Exaltasamba que está em carreira solo agora. No repertório, o artista interpreta canções de seu mais novo trabalho “Nos Arcos da Lapa”, como “Final de Tarde” e “Chance pro azar”, além de canções de álbuns anteriores como “Linguagem dos olhos”. 
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes. Dia 8, a partir das 10h. Grátis. Livre. 

SEMINÁRIO DE CARNAVAL E CELEBRAÇÕES DE RUA 
| Centro Cultural São Paulo. De 3 a 5 de dezembro. Grátis. Inscrições pelo site www.centrocultural.sp.gov.br 
Credenciamento será feito todos os dias, a partir das 8h30

Abertura 
Com Fernando Haddad (Prefeito de São Paulo) e Juca Ferreira (Secretário Municipal de Cultura)
A cidade está em voga. Cada vez mais ela é reivindicada pela população. Melhorias dos serviços, mobilidade urbana, segurança pública, lazer. Os temas relativos à urbanização são a pauta da vez e nunca os cidadãos estiveram tão presentes nos debates que a envolvem. A recepção de grandes eventos e a estrutura da cidade estarão em discussão.
| Dia 3, às 10h. 

Mesa 1 – AQUARELA DO BRASIL: “DIMENSÃO CULTURAL DO CARNAVAL DE RUA”
Com Moisés da Rocha (produtor musical, pesquisador e apresentador), Felipe Ferreira (editor da revista Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares, coordenador do Centro de Referência do Carnaval e líder do grupo de pesquisa Laboratório da Arte Carnavalesca), Galo da Madrugada- Tatyana Verissimo e Marcelo Varella (Galo da Madrugada) e Rachel Valença.
O carnaval é, antes de tudo, uma das mais importantes manifestações culturais do nosso país. Celebrado em todo território nacional, assume diferentes roupagens a cada ano e em cada localidade, sendo comuns a todas as festas a alegria, a música e a participação popular. Pode haver carnaval sem fantasias, pode haver carnaval sem samba, pode haver carnaval sem desfile, mas não há carnaval sem aqueles três elementos. 
| Dia 3, às 11h00

MESA 2 – COM QUE ROUPA: “PLANEJAMENTO E SERVIÇOS NOS CARNAVAIS DE RUA DO BRASIL”
Com Domingos Leoneli (Secretário de Turismo da Bahia), Merina Aragão (Empresa de Turismo de Salvador), Tania Fayal (PDT) e Antônio Pedro Figueira de Mello (Secretário Especial de Turismo do município do Rio de Janeiro)
Serão debatidos os aspectos relativos à preparação da cidade para receber eventos do porte do carnaval de rua: adequação de infraestrutura, abastecimento de água, banheiros, iluminação, tráfego, iluminação, saúde e serviços. São muitos os atores envolvidos na organização dos grandes eventos de rua e é importante estimular a participação de organismos e entidades da sociedade civil organizada que possam contribuir com todo o processo. Nesta mesa, especialistas na organização dos carnavais de Salvador, Recife e Rio de Janeiro, os maiores carnavais de rua do Brasil, compartilharão suas experiências, apresentando como o poder público de cada uma dessas cidades enfrenta o desafio de planejar uma festa com essa magnitude.
| Dia 3, às 14h30

MESA 3 – SAUDOSA MALOCA: “PANORAMA DO CARNAVAL PAULISTANO: TRADIÇÃO E CENÁRIO ATUAL”
Com Seu Carlão (Carlos Costa, fundador da Banda Redonda), Alessandro Dozena (pesquisador da UFRN em Práticas Culturais e Territorialidades), Marina Moretti (Bloco Carnavalesco João Capota na Alves), Baby Amorim (Bloco Afro Ilê Oba de Min) e José Vieira (Bloco Bastardo)
A história do carnaval em São Paulo se confunde com a história da cidade. A formação de seus bairros e o seu crescimento são refletidos e se refletem na história dos primeiros bailes, primeiros blocos e cordões, que tiveram como endereço as zonas fabris da cidade, como o bairro da Lapa, o Bexiga e a Barra Funda. Aos poucos o carnaval elitizado dos bailes à la Veneza foram sendo substituídos, em tamanho e importância cultural, pelo carnaval dos cordões, que passaram a ser figura central do carnaval de São Paulo. A importância histórica do samba, o diálogo da festa com a cidade em sua dimensão viva, pulsante e em permanente transformação, são alguns dos temas do encontro.
| Dia 4, às 10h30

MESA 4 – MAMÃE, EU QUERO!: “ECONOMIA DO CARNAVAL”
Com Luís Carlos Prestes Filho (Coordenador Geral do estudo Cadeia Produtiva da Economia do Carnaval), Ítalo Cardoso (vereador), João Luiz Passador (Coordenador do Gpublic – Centro de Estudos em Gestão e Políticas Públicas Contemporâneas) e Gustavo Catalano (Gerente de Ações Culturais e Infraestrutura da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura da Cidade do Recife).
O carnaval, além dos benefícios da fruição da festa (ou do descanso) – inegáveis, embora às vezes de difícil mensuração – também gera benefícios mensuráveis, os quais devem ser consideravelmente elevados com a institucionalização do evento pela Prefeitura de São Paulo. É conhecido o retorno financeiro que eventos como a Fórmula 1 e a Parada do Orgulho LGBT geram para  a cidade e com o carnaval de rua não será diferente. Nesta mesa, o assunto são os lucros gerados pelo carnaval de rua principalmente para o setor de serviços.
| Dia 4, às 14h

MESA 5 – ÍNDIO QUER APITO: POLÍTICAS PÚBLICAS PARA ENTIDADES POPULARES NO CARNAVAL
Com Jairo da Mata (vice-presidente do ComCar -Conselho Municipal do Carnaval de Salvador), Rita Fernandes (presidente da Sebastiana –Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro), Maria da Paz (Assessoria da Secretaria de Cultura de Recife e diretora do Pátio de São Pedro) e Carmem Lelis (Técnica de História e Patrimônio da Prefeitura Municipal do Recife e diretora do Centro de Formação e Pesquisa - Casa do Carnaval e Diretora do Departamento de Documentação e Formação Cultural).
O carnaval de rua acontece nas cidades brasileiras independentemente do apoio de seus governos municipais e São Paulo não foge à regra. Contudo, quando o governo assume a responsabilidade sobre a organização do evento, todas as partes – foliões, artistas, produtores culturais e governos – tendem a ganhar. Mas “assumir” o carnaval de rua significa investir e o recurso não é pouco. Para discutir as formas de fomento ao carnaval de rua por parte do poder público, convidamos representantes dos órgãos municipais responsáveis pelos carnavais de Olinda e Salvador e a organização associada dos principais blocos de rua da cidade do Rio de Janeiro. Edital, patrocínio, investimento direto. “Quais são os modelos existentes de políticas públicas para o financiamento do carnaval?” e “quais podem ser criados?” são as principais questões a serem discutidas na mesa.
| Dia 4, às 15h

MESA 6 – TURMA DO FUNIL: “CARNAVAL DE PARTICIPAÇÃO: PATROCÍNIO, COMERCIALIZAÇÃO, COMUNICAÇÃO E MARKETING”
Com Wilson Poit (Diretor-Presidente da SP Negócios), Alex Martins (Riotur - Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro) e Wilson Poit (Presidente da SP Negócios).
A parceria entre governos e a iniciativa privada é uma importante ferramenta de otimização dos recursos investidos nos grandes eventos. Se é uma parceria, deve trazer vantagens para ambas as partes. De um lado, o governo consegue reduzir o volume do investimento direto e as empresa, de outro lado, beneficiam-se com retornos financeiros (lucro por venda exclusiva de seu produto na área do evento, por exemplo), de imagem (visibilidade de sua marca, gerando publicidade) e de relacionamento com públicos de seu interesse (fornecedores, clientes, artistas). A mesa de hoje discutirá os diversos formatos em que essa parceria pode se dar, tais como: via patrocínio, cessão de espaço em mídia (em caso de empresas de comunicação), apoio no fornecimento de equipamentos, entre outros.
| Dia 4, às 16h30

ABERTURA
Com o Secretário Municipal de Cultura, Juca Ferreira e secretário de Segurança Municipal, Roberto Porto.

PALESTRA – TREM DAS ONZE: “INTELIGÊNCIA, ESTRATÉGIA E ORGANIZAÇÃO EM GRANDES EVENTOS DE RUA”
O planejamento necessário para a realização de um grande evento pode e deve ser favorecido com o uso de ferramentas tecnológicas desenvolvidas especialmente para funcionar como suporte a ações e geração de informações. Logística, segurança, tráfego, fiscalização, saúde, transporte público estarão no centro das discussões desta mesa.
| Dia 5, 11h
11h - Ray Tyler (Atuou por 40 anos nas Agências de Aplicação da Lei do Reino Unido, como aduana de Sua Majestade Britânicae a Agência de Luta Contra o Crime Organizado. Serviu como Oficial de Ligação na Luta Contra o Crime Organizado na Colômbia, Venezuela, Bolívia e no Brasil)
14h - Murray Perrett (Ex-agente da Polícia Metropolitana Britânica. Atuou na proteção e segurança dos Primeiros Ministros do país e convidados estrangeiros e participou do planejamento para atuação das equipes britânicas de proteção nos Jogos Olímpicos de Atenas e Pequim e nos Jogos da Comunidade das Nações em Delhi).

MESA 7 – CACHAÇA NÃO É ÁGUA NÃO: “SEGURANÇA PÚBLICA EM GRANDES EVENTOS DE RUA”
Com Coronel Carlos Sebastião Eleutério (Salvador), Sergio de Souza Merlo (Coordenador Operacional da Polícia Militar do Estado de São Paulo) e Guilherme de Castro Almeida (Delegado da Polícia Federal, Presidente da comissão de grandes eventos Ministério da Justiça) e Tenente Coronel Petrônio Chagas (Polícia Militar de Pernambuco)
Relatores:
1. Simone Castro (jornalista, trabalhou na Fundação Bienal)
2. Chelmi (Educador,escritor "da quebrada", organiza o Sarau da Brasa)
3. Mariana Galender (fotógrafa e educadora)
4. Ângela Castelo Branco (escritora e educadora)
5. Luiza Christov (filósofa, profa. da UNESP, ensaísta)
6. Juliano Pessanha (filósofo)
7. Luiz Pimentel (ator, jornalista)
8. Letícia Liesenfeld (atriz e contadora de histórias)
9. Israel Neto (Ação Educativa)
10. Alan da Rosa (escritor)
A mesa de encerramento vai tratar de um dos temas mais importantes quando se fala em planejamento de grandes eventos: a segurança. Representantes dos órgãos públicos de segurança com ampla experiência no assunto compartilharão os desafios que enfrentam para garantir que eventos de grande porte sejam lembrados apenas pela alegria proporcionada. Serão apresentados dados, propostas de ações preventivas e planos de ação para situações de risco. Parcerias importantes, normas pré-estabelecidas, número de policiais dedicados, equipamentos utilizados também estão entre os temas da mesa.
| Dia 5, às 15h30



0 comentários :

Sua mensagem será lida e caso necessário, será moderada antes de ser postada.
Obrigado!