28 de jun de 2013

Samba do Final de Semana - ROBERTO BOLACHA

Sambistas e Sambólotras, a semana é dedicada a Roberto Bolacha e a musica é Pelo Telefone,  composição de Donga e Mauro de Almeida,  gravada em 1917 e que é a primeira da série  “As dez canções obrigatórias para entender o samba” @@@ No roteiro do samba está incluído a Choperia Maracanã @@@  O Samba de Olinda e Recife também tem um link exclusivo – Sambe em Olinda e Recife @@@ A Centopeia vai tomar Sopa, aguardem @@@ No personalsamba.com.br, entre outras informações, você encontra a Agenda do Samba da Semana e os álbuns: Sambe em Brasília, Samba no Brasil, Samba Clikado e Quem faz o Samba @@@ visite a pagina facebook.com/personalsambaoficial @@@

"Pelo Telefone" 

Primeira composição a ser registrada como samba, é desde então objeto de controvérsia – para muitos pesquisadores nem samba é, e sim um maxixe disfarçado –, o que de certa maneira lhe confere um charme especial. O mais provável é que tenha surgido numa roda de batuque, com diversos participantes improvisando versos e melodias. Teriam participado dessa reunião, na famosa casa da baiana Tia Ciata, na região da antiga Praça Onze, sambistas como Germano Lopes da Silva, Hilário Jovino Ferreira, João da Mata, Sinhô, entre outros que aprontavam na chamada Pequena África carioca no início do século 20. O jornalista Mauro de Almeida, o popular Peru dos Pés Frios, que assina a composição com Donga, admitiu ter sido apenas o “arreglador” dos versos.

"Pelo Telefone" 

 (versão original na íntegra)

O chefe da folia
Pelo telefone manda me avisar
Que com alegria
Não se questione para se brincar
Ai, ai, ai
É deixar mágoas pra trás, ó rapaz
Ai, ai, ai
Fica triste se és capaz e verás
Tomara que tu apanhe
Pra não tornar fazer isso
Tirar amores dos outros
Depois fazer teu feitiço
Ai, se a rolinha, sinhô, sinhô
Se embaraçou, sinhô, sinhô
É que a avezinha, sinhô, sinhô
Nunca sambou, sinhô, sinhô
Porque este samba, sinhô, sinhô
De arrepiar, sinhô, sinhô
Põe perna bamba, sinhô, sinhô
Mas faz gozar, sinhô, sinhô
O "peru" me disse
Se o "morcego" visse
Não fazer tolice
Que eu então saísse
Dessa esquisitice
De disse-não-disse
Ah! ah! ah!
Aí está o canto ideal, triunfal
Ai, ai, ai
Viva o nosso carnaval sem rival
Se quem tira o amor dos outros
Por deus fosse castigado
O mundo estava vazio
E o inferno habitado
Queres ou não, sinhô, sinhô
Vir pro cordão, sinhô, sinhô
É ser folião, sinhô, sinhô
De coração, sinhô, sinhô
Porque este samba, sinhô, sinhô
De arrepiar, sinhô, sinhô
Põe perna bamba, sinhô, sinhô
Mas faz gozar, sinhô, sinhô
Quem for bom de gosto
Mostre-se disposto
Não procure encosto
Tenha o riso posto
Faça alegre o rosto
Nada de desgosto
Ai, ai, ai
Dança o samba
Com calor, meu amor
Ai, ai, ai
Pois quem dança
Não tem dor nem calor
O chefe da polícia
Com toda carícia
Mandou-nos avisá
Que de rendez-vuzes
Todos façam cruzes
Pelo carnavá!...
Em casas da zona
Não entra nem dona
Nem amigas sua
Se tem namorado
Converse fiado
No meio da rua.
Em porta e janela
Fica a sentinela
De noite e de dia;
Com as arma embalada
Proibindo a entrada
Das moça vadia
A lei da polícia
Tem certa malícia
Bastante brejeira;
O chefe é ranzinza
No dia de "cinza"
Não quer zé-pereira!
Coro (civis)
Me dá licença, não dou, não dou
Faça favô, não dou, não dou
Pra residença, não dou, não dou
Com pressa vou, não dou, não dou
Coro (madamas)
Do chefe é orde? não vou, não vou
Sua atrevida, não vou, não vou
Entrar não pode, não vou, não vou
Vá pra avenida, não vou, não vou.

Paullo Galvão
personalsamba.wirenode.mobi – celular
facebook.com/personalsambaoficial
www.personalsamba.com.br
9144-2270 ou 9152-7141



0 comentários :

Sua mensagem será lida e caso necessário, será moderada antes de ser postada.
Obrigado!